Avançar para o conteúdo principal

Burnout

 Para evitar ou ajudar no tratamento!

  • Definir pequenos objetivos na vida profissional e pessoal;
  • Participar em atividades de lazer com amigos e familiares;
  • Fazer atividades que "fujam" à rotina diária, como passear, comer num restaurante ou ir no cinema;
  • Evitar o contato com pessoas "negativas" que estejam constantemente reclamando dos outros e do trabalho;
  • Conversar com alguém de confiança sobre o que se está sentindo.
Esta semana veio à baila este tema, que dá na sua grande maioria em mulheres a nível maternal e laboral e em homens a nível laboral. É certo e sabido que na sua grande maioria, quando uma mulher decide casar e ter filhos ela também acrescenta um trabalho ou vários extra não remunerados, isto para não falar das mães solteiras e trabalhadoras que não têm dias de descanso, não podem ficar doentes, e muitas delas não têm o apoio da aldeia que tanto é necessário, nestes casos, queremos ser boas esposas, boas mães, boas profissionais, boas donas de casa, no fim só somos boas a gritar, a desesperar, a dormir mal, a chorar, a ficar completamente apáticas quando tudo o que queríamos era gritar!!!
E este nosso cérebro onde se encontra no meio de tudo isto???

Perdido, e o nosso corpo, a trabalhar excessivamente sem parar, não conseguimos dedicar-nos a só uma tarefa porque queremos ser um exemplo social, sempre enxovalhadas de criticas, e olhares alheios, muitas vezes vindos de família e crenças familiares, não temos dinheiro para pagar serviços que nos eliminem as cargas, e muitas vezes a simples diversão à exaustão emocional e física, custa-nos caro. 

Como mãe solteira é esgotante emocional e fisicamente, tudo o que me proponho diariamente, se acrescentar a isso, desabafos e problemas alheios, então eu morro, e tenho pena dos profissionais da área da psicologia, que tão amavelmente nos ouvem, obvio que ganham por isso, é um trabalho, mas eles também são mães e pais, e têm vidas.

Chegamos a uma era em que ouvimos muitas vezes...agora é tudo mais facilitado...no nosso tempo...
Pois bem dou de graça uma semana das minhas às pessoas que falam isso, e acrescento as minhas despesas e o medo de falhar nos compromissos financeiros, férias uma vez por ano, liberdade de 15/15 dias em que o misto entre descansar e divertir é um livre-arbítrio fodido, e sem direito a relaxar totalmente porque na verdade...não há guito, e sim raisparta o povo que diz que dinheiro não traz felicidade, eu já fui muito feliz com dinheiro, e não é o dinheiro que traz infelicidade é mesmo a forma como o vemos, para mim o dinheiro é uma dádiva e sim, venha ele em abundância!!!!

Metade dos afazeres estariam salvaguardados e a mente mais tranquila sem só ter números e contas na cabeça, vivemos a trabalhar, e custa-me até ao osso ver pessoas que trabalham para deixar coisas para os seus filhos, eu quero assegurar o hoje dos meus, amanhã não sei quem está cá, eu não quero que vejam esta mãe exausta a contar dinheiro para as senhas, porque gente a mãe também tem de recompensar o seu esforço, e não é só dar aos filhos, nós precisamos e merecemos. não não era infeliz quando vivia com mais, a vida a solo é dura, a grama é areia e o sol e o frio queimam mais...

No meio disto vivemos ou sobrevivemos????

Vale a pena pensar nisto!



Comentários

Mensagens populares deste blogue

December!!!!

Dezembro chegou... e com ele todos os pensamentos, todas as reflexões de um ano completamente atípico a que todos sobrevivemos....mas deixem apenas dizer lhes que ....foi um ano de crescimento individual, espiritual e familiar! Saio deste ano de coração cheio, de pura adrenalina, como é óbvio momentos de tudo....foi ano de Marte e deviamos ter preparado para a guerra, se todos chegamos até aqui vivos e de saúde somos uns guerreiros natos, capazes de enfrentar qualquer batalha. Prosseguiremos a 2021, ano de Vénus,  do amor, da prosperidade, da fé e da abundância, da compaixão, do cuidado ao próximo, dos amores impossíveis de contos de fadas! Peço para este ano uma reflexão: o que vale a pena lutar em cada vida que nos pertence? Do que devemos ser gratos ao acordar e ao deitar? O que é para si a liberdade, a saúde, a segurança! O que realmente importa para cada um de nós? Acho que foi um ano bastante reflexivo para quem abarcou e tentou entender a mensagem...a bem da verdade nestas últim

Pagamos uma casa a vida toda e agora ninguém quer passar os dias dentro dela

 Mais uma cultura portuguesa enraizada que felizmente começa a mudar! E porque não trabalhar dentro de casa, afinal pagamos uma renda, um empréstimo que não deixa de ser igualmente um crédito bancário. Ainda que tenhamos um trabalho no exterior, porque não trabalhar em casa, criar um cantinho para fazê-lo? Incentivar os vossos filhos a explorar uma capacidade....se com a idade deles pais e avós ganhavam dinheiro em fábricas, eles podem ganhar no conforto do seu lar, explorando os seus próprios dons e capacidades. Pagamos a nossa casa uma vida....são 100 mil...200 mil....300 mil...é que pensando bem na realidade actual ...sei que muitos são teletrabalho e aglomeram "n" tarefas ao que já têm, mas isto não será sempre assim, e porque não começar já hoje? Todos nós vimos ao mundo dotados de pelo menos 1 dom e 1 propósito de vida, dos quais somos dotados por Deus na nossa hora de nascimento. Existem pessoas que os descobrem e são felizes porque não é trabalho, é propósito, é dom,

Saudades das minhas gajas

Tenho saudades das minhas gajas, das gargalhadas, do verão, das danças, dos jantares, de socializar. Sinto saudades de fazer amor, de fazer sexo, de nadar no mar e fazer topless. Sinto saudades da sangria, da cerveja, do sunset, da areia da praia. das ondas do mar. Sinto saudades do teu beijo, do teu sorriso entre ele, e do teu abraço. Sinto saudade de não ter medo de amar, porque é bom amar sem medo. Sinto saudade do bikini, dos pés na areia, da brisa a bater-me na cara. Sinto saudades do alpendre lá de casa, do jardim de inverno, dos finais de tarde de verão. Sinto falta dos abraços, dos beijos, das borboletas na barriga, dos primeiros encontros. Sinto saudades de acordar com desejo e adormecer com paixão.  Sinto saudades do teu abraço aconchegante, do teu toque meigo, do teu mau feitio. Sinto saudades da paixão desenfreada e do tesão, mas mais saudades do teu amor calmo, que me serana, saudades da tua voz....aí a tua voz. Saudades dos jantares, de andar de mão dada na praia, de quan