Avançar para o conteúdo principal

Saudades das minhas gajas


Tenho saudades das minhas gajas, das gargalhadas, do verão, das danças, dos jantares, de socializar.
Sinto saudades de fazer amor, de fazer sexo, de nadar no mar e fazer topless.
Sinto saudades da sangria, da cerveja, do sunset, da areia da praia. das ondas do mar.
Sinto saudades do teu beijo, do teu sorriso entre ele, e do teu abraço.
Sinto saudade de não ter medo de amar, porque é bom amar sem medo.
Sinto saudade do bikini, dos pés na areia, da brisa a bater-me na cara.
Sinto saudades do alpendre lá de casa, do jardim de inverno, dos finais de tarde de verão. Sinto falta dos abraços, dos beijos, das borboletas na barriga, dos primeiros encontros.
Sinto saudades de acordar com desejo e adormecer com paixão. 
Sinto saudades do teu abraço aconchegante, do teu toque meigo, do teu mau feitio.
Sinto saudades da paixão desenfreada e do tesão, mas mais saudades do teu amor calmo, que me serana, saudades da tua voz....aí a tua voz.
Saudades dos jantares, de andar de mão dada na praia, de quando respiras no meu ouvido, saudades da minha alegria, de todos os sorrisos, de um bom decote, e de um vestido chique numa noite de verão, conjugado com umas sandálias e um sorriso!
Sinto saudades, de dizer abraça-me....por favor não vás...e de te ouvir dizer que queres ficar....e ir embora no dia a seguir.
Sinto saudades de quem sou contigo e bolas até da forma reversa das nossas opiniões, que tantas vezes debatemos.
Sinto saudades de dançar à noite, de ir ao pagode, da caipirinha e da cerveja, da música. 
Sinto saudades do mundo e da liberdade e sinto saudades de ser feliz e solta como uma brisa na praia.
Sinto saudades



 

Comentários

Mensagens populares deste blogue

O Fantasma do Compromisso

Já se perguntou quantos relacionamentos poderiam ter dado certo se fossem apenas e só amigos? Já reparam que quando começamos a "andar" ou "sair" com alguém supomos de imediato que temos de ser só daquela pessoa e começar a dar e a cobrar satisfações ? Nascemos sozinhos morreremos sozinhos, sozinhos chegamos, sozinhos partimos.... Não me canso de dizer isso, vimos a este mundo para partilhar e ter vivências uns com os outros, mas não somos, não devemos, não podemos ser posse do outro! Somos seres independentes e autonomos, e o que fazemos é partilhar e predispor da nossa companhia com determinadas pessoas! Porque é que muitas relações de amizade duram uma vida e os relacionamentos por vezes não? Prende-se ao fator compromisso, passamos a ser insconscientemente, propriedade um do outro, e se não somos comportamo-nos como tal...a pergunta é quem gosta de ser marionete e cingir-se ao outro ? ninguém , na verdade ninguém. Há quase sempre o dominado e o dominador, que é

Tricot

Quem me acompanha desde os primórdios, sabe que este blog já foi inteiramente dedicado ao tricot e se chamava lanzuda...pois bem confesso, que nos últimos tempos, não que não consiga, mas não tenho feito disso prioridade, embora vos confesse que tenho imensas saudades! Vou tricotar este ano alguns gorros para sem-abrigo, que é um projeto que tenho em mente há anos, eu vou mentalizando tudo na minha vida,projectando, vizualizando,co-criando, até que surja o momento certo para por em prática, e aí ninguém me segura! Para mim é terapia, e esta arte pode ser aplicada em centros de recuperação, porque tem a vertente calmante e terapeutica, e criar algo é sempre positivo ao ser humano! Mexe com os dois lados do cérebro em simultaneo, e pulsa o lado criativo, cada um pode por o seu cunho pessoal e é maravilhoso !  Tinha uma luta com meias, até que há dois anos e de forma autodidata, consegui fazer este par, com a lã Mondim , uma marca Portuguesa da Retrosaria ! Adoro, e este ano é para repeti

Reciclagem

 Por vezes dou por mim a pensar, que pagamos tanto papel e plástico, para deitar ao lixo....terrível.  Além do lixo que fazemos, também é um desperdicio? Hoje o post é super curto, ,as vale a pena pensar nisto!