Avançar para o conteúdo principal

Pagamos uma casa a vida toda e agora ninguém quer passar os dias dentro dela

 Mais uma cultura portuguesa enraizada que felizmente começa a mudar!

E porque não trabalhar dentro de casa, afinal pagamos uma renda, um empréstimo que não deixa de ser igualmente um crédito bancário.

Ainda que tenhamos um trabalho no exterior, porque não trabalhar em casa, criar um cantinho para fazê-lo? Incentivar os vossos filhos a explorar uma capacidade....se com a idade deles pais e avós ganhavam dinheiro em fábricas, eles podem ganhar no conforto do seu lar, explorando os seus próprios dons e capacidades.

Pagamos a nossa casa uma vida....são 100 mil...200 mil....300 mil...é que pensando bem na realidade actual ...sei que muitos são teletrabalho e aglomeram "n" tarefas ao que já têm, mas isto não será sempre assim, e porque não começar já hoje?

Todos nós vimos ao mundo dotados de pelo menos 1 dom e 1 propósito de vida, dos quais somos dotados por Deus na nossa hora de nascimento. Existem pessoas que os descobrem e são felizes porque não é trabalho, é propósito, é dom, outras vivem e morrem sem nunca ter descoberto!

Mas eu costumo sempre dizer que não somos a nossa formação ou a nossa profissão a não ser  que esses sejam os nossos dons e propósitos de vida! Podemos ter mais que um, mas existe um que se sobressai mais.

Acho completamente errado, descabido e ultrapassado, que se tratem as crianças desde o pré escolar como robozitos....e todos diferentes fazem as mesmas rotinas chatas e enfadonhas...dia após dia...brincam com os mesmos brinquedos diariamente, os mesmos jogos, e a criatividade, motricidade fina, e exploração dos sentidos, vai ficando dia a dia mais comprometida e mais aquém. Não exploram exterior, natureza, não podem andar ao frio, nem na mata molhada, não se podem sujar, as bonequitas de porcelana...

Já há diversos anos que como mãe e sem qualquer formação em pedagogia, apenas tendo duas crianças com necessidades completamente distintas, às quais como é óbvio ajusto a educação, defendo que deveriam ser disciplinas obrigatórias, gestão doméstica, cálculo ou gestão financeira, porque realmente essa será a vida adulta de todos, e parece-me óbvio que nem toda a gente será suficientemente abonada para contratar serviços que façam as coisas por eles próprios, e porque ficar rico leva o seu tempo....então temos de estar preparados para vidas mais e menos confortáveis. Sou completamente contra rotinas rígidas...porque um dia a vida saiu-nos de baixo...e o que vai ser das nossas crianças futuros adultos???

Quando vivemos com alguém seja família ou relacionamento, depressa percebemos que dependemos muito dos outros para fazer as nossas próprias coisas, e isso deve-se ao fato das más educações maternais, que protegem os filhos como se fossem diamantes em bruto prestes a lascar, gente...pensem nas crianças como adultos, atribuam-lhe pequenas tarefas, retirem-nos dos mundos digitais das redes, que estão a atrofiar o cérebro a todos, e principalmente a criatividade e a capacidade de perceber que 2+2 é igual a 4 mas que também 5-1 é igual a 4 e que 3+1 é igual a 4 e que 1+1+1+1 é igual a 4. Levem-nos a todo o lado (agora não que é pandemia), mas falo da situação normal, ensinem-nos a fazer compras, trocos, comprar coisas, fazer receitas, ler receitas, ler livros, levar o lixo, lavar a loiça....

As crianças nem sabe ir levar o lixo quando nós aos 6 anos já íamos a mercearia do vizinho com uma lista e trazíamos troco e rebuçados de recompensa...íamos e vínhamos para a escola sozinhos, ficávamos sózinhos, fazíamos muita merda...óbvio...mas exploravamos capacidades que hoje estão a ficar extintas da raça humana....

Voltando ao parágrafo inicial...já ninguém sabe o que fazer dentro da própria casa a não ser ficar on-line 24/24 horas....já que estão em casa, mudem as rotinas, é chato, os adolescentes vão ter crises, vão precisar de um estalo, um xanax e uma vodka....e nós sair de carro e parar na fronteira do CHILE mas gente ....é desmame...como quando os adultos largam álcool, tabaco, antidepressivos, e ficam em casa encarcerados e não podem ir dar a escapadinha com os amantes...2/3 dias depois tudo entrará nos eixos....

A nossa casa é um sítio para viver ...um sítio de onde devemos tirar rentabilidade o famoso ROI....não para limpar e dormir.....e passar sem vontade de ir para lá, ou de não tirar proveito desse investimento.

"De todo e qualquer investimento devemos tirar um proveito" Adriana Salgado

Vale a pena pensar nisto!



Comentários

Mensagens populares deste blogue

December!!!!

Dezembro chegou... e com ele todos os pensamentos, todas as reflexões de um ano completamente atípico a que todos sobrevivemos....mas deixem apenas dizer lhes que ....foi um ano de crescimento individual, espiritual e familiar! Saio deste ano de coração cheio, de pura adrenalina, como é óbvio momentos de tudo....foi ano de Marte e deviamos ter preparado para a guerra, se todos chegamos até aqui vivos e de saúde somos uns guerreiros natos, capazes de enfrentar qualquer batalha. Prosseguiremos a 2021, ano de Vénus,  do amor, da prosperidade, da fé e da abundância, da compaixão, do cuidado ao próximo, dos amores impossíveis de contos de fadas! Peço para este ano uma reflexão: o que vale a pena lutar em cada vida que nos pertence? Do que devemos ser gratos ao acordar e ao deitar? O que é para si a liberdade, a saúde, a segurança! O que realmente importa para cada um de nós? Acho que foi um ano bastante reflexivo para quem abarcou e tentou entender a mensagem...a bem da verdade nestas últim

Saudades das minhas gajas

Tenho saudades das minhas gajas, das gargalhadas, do verão, das danças, dos jantares, de socializar. Sinto saudades de fazer amor, de fazer sexo, de nadar no mar e fazer topless. Sinto saudades da sangria, da cerveja, do sunset, da areia da praia. das ondas do mar. Sinto saudades do teu beijo, do teu sorriso entre ele, e do teu abraço. Sinto saudade de não ter medo de amar, porque é bom amar sem medo. Sinto saudade do bikini, dos pés na areia, da brisa a bater-me na cara. Sinto saudades do alpendre lá de casa, do jardim de inverno, dos finais de tarde de verão. Sinto falta dos abraços, dos beijos, das borboletas na barriga, dos primeiros encontros. Sinto saudades de acordar com desejo e adormecer com paixão.  Sinto saudades do teu abraço aconchegante, do teu toque meigo, do teu mau feitio. Sinto saudades da paixão desenfreada e do tesão, mas mais saudades do teu amor calmo, que me serana, saudades da tua voz....aí a tua voz. Saudades dos jantares, de andar de mão dada na praia, de quan