Avançar para o conteúdo principal

A depressão das mães Autistas

Quase ninguém fala sobre este tema, e vou abordar eu que sou mãe de um Autista.

Comportamentalmente muitas vezes uma criança Autista ainda que com 6/7 anos comporta-se exatamente da mesma forma que uma um bebé que não fala e uma criança de 2 anos.

Chega a ser um misto!
Quando o seu dia foi mau e foram agressivos com elas elas reproduzem esses comportamentos em casa, para além de regredirem em algumas capacidades já adquiridas, nomeadamente forma de comer, estragar ou partir objectos, sujar coisas, e fazer as necessidades fora da casa de banho, dormir tarde e dormir mal!
A ausencia de uma pessoa de referência também pode criar no autista os mesmos comportamentos, e aqui inclui choro, pontapés, beliscões e puxões de cabelo!

A nível de desgaste fisico para uma mãe, isto é uma sobrecarga diária! 
Por muito fortes que sejamos, é impossível não desejarmos na maioria dos dias ter uma criança "normal" e não nos perguntarmos lavadas em lágrimas porquê eu??? Porquê comigo? Ninguém tem culpa como é obvio, e dentro das palavras de incetivo que ouço e leio e sou grata, por vezes só me ocorre dizer, não eu não sou forte assim, NINGUÈM é suficientemente forte assim.
Depois de 2 meses inteiros em casa, e agora mais um igualmente cheio de responsabilidades, ocorre-me pensar que em vez de ir trabalhar, me apetecia meter no carro e desapararecer!
E não tem mal nenhum dizer-vos isso, porque nós somos frágeis também, nós somos seres humanos com limitações, e dependendo dos dias, aceitamos melhor ou pior!
Sim eu estive completamente sozinha! E só descanso de 15 em 15 dias ao fim de semana, e umas horas que a santa da D Sofia me fica com ele.
Toda a gente se afasta do Salvador, ninguém quer contacto com ele, toda a gente tem medo dele, tem receio, e ele sente-se rejeitado. e eu como mãe também! A irmã tem onde ficar agora, se fosse ele ninguém o queria....e isso parte-me o coração!
Claro que podia pedir ajuda e peço, a única pessoa que não é da família e me fica sempre que peço com ele,( e não é quando o rei faz anos) a minha irmá também se oferece, mas ela também tem o descanso dela, mas lá ele também fica bem, se não lidarem com ele estão a isolar o miúdo da sociedade.
Fui julgada muitas vezes por não o levar a socializar, mas se um elefante incomoda muita gente, um autista incomoda muito mais, e se o meu filho incomoda, eu também.
Mas privo a irmã também, e isso é tão, tão injusto.

Dizemos não a tudo, não queremos socializar, e nós próprias, acabamos por ser não sociáveis, porque não tem como....acabamos por nos fechar num pequeno circulo, e passar grande parte do tempo sozinhas para descansar!



Ontem a irma saiu, porque tem de ter a sua vida, não posso priva-la mais de ter uma vida regular. ele vinha chateado, tornou-se agressivo, adormeceu a 1 da manhã e exaustos os dois, decidimos adormecer....em lágrimas!
Entendam que o Autista não é agressivo em si, ele reproduz comportamentos, se não comunica e lhe batem, ou o magoam, ele vai reproduzir como forma de queixa, em quem confia, e nesta altura é dificil gerir....se damos palmada ele vai ficar pior, se abraçamos pode magoar-nos, temos de o deixar na frustração sem ajuda para eles e para nós!

Pensem que uma criança autista equivale a várias crianças! Não quero que tenham pena de nós quero que nos ACEITEM.




Uma mãe autista, é um soldado num campo de minas!


Comentários

Mensagens populares deste blogue

Como ajudar um autista

A melhor forma de ajudar um autista e qualquer outra criança com necessidades especiais é aceitar e respeitar, a criança não pediu para nascer assim, e se nasceu é porque a sua forma de pensar e ver o mundo é importante para todos nós!

Que seria do mundo se pensassemos todos da mesma forma? que seria do mundo sem pessoas comuns, e sem génios, sem criativos, sem pessoas mais ou menos sociais, mais ou menos funcionais!

Infelizmente somos ratinhos de laboratório, e não damos ao ser humano, logo desde o berço, a possibilidade de se exprimirem e trabalharem nas suas competências, aquelas que poderiam fazer toda a diferença!

Supõe-se desde muito cedo que se não fizermos determinadas coisas que outras crianças da mesma idade fazem, somos dotados de falta de habilidade, ou pouco inteligentes, ou atrasados!

Porém faltam muitas disciplinas importantes como gestão doméstica, disciplinas mais práticas, de onde conhecemos os melhores compositores, pintores, pensadores, filósofos??? Não estão na e…

Felizes os que retomaram a sua rotina mais felizes os que nunca sairam

Sim hoje li um texto e os nossos filhos e nós que estamos em casa confinados, principalmente quem está sozinho  a desdobrar-se em tarefas, em rotinas alteradas, em tentativas de sair para lugares seguros, em idas ao supermercado, as farmácias, a tentar mil malabarismos para nos mantermos despertos e saudáveis, sem que ninguém se mate, nós somos os verdadeiros heróis!

Somos mães/pais a tempo inteiro, não podemos ter um surto e sair de casa porque eles não podem ficar sozinhos, nos dias de chuva não saimos, e não é porque chove, é porque as nossas crianças com necessidades especiais, não cumprem todas as regras, e molham-se e sujam-se e fazem xixi, e nós não queremos que uma simples saída de 30 minutos se torne em banho, roupa na máquina, cadeira do carro, lavagem de tudo e mais um par de botas, consumo de água e de máquina de secar, dadas as condiçoes climatéricas!

São 10horas eu acordei as 9, o meu filho ontem adormeceu as 2H30, depois de ter sido dura com ele mais uma vez, isso só p…

Contabilidade e Gestão- Despesas anuais

Verdade seja dita que ganhamos ao mês não ao ano!!! Mas para sabermos quanto estamos a exceder no orçamento ou quanto precisamos de ganhar mais, é o nosso dever fazer contas anuais, ativo, passivo, o que entra o que sai, o que entra e o que realmente pode sair!
Há anos muito atipicos, e nós por cá dizemos que por razões mais que óbvias este ano foi um desses!!!

Metade do orçamento, contas desencontradas, contas desiquilibradas, menos a entrar mais a sair, mas sobrevivemos assim sem grandes estragos!!!!!!!
Para o ano a meta será a financeira e material!

Sem perder o fio à meada equilibrar, equilibrar, equilibrar, para então em 2021, relaxar!
Sim tenho metas na cabeça, no papel, todos os anos me proponho a uma!
Este ano era chegar ao final com questões sentimentais resolvidas, orientar nova vida e rotinas familiares, ainda que com ajuda seja sempre o mais individualista e independente que conseguir, e ser independente nunca é apenas e só uma questão financeira!!!!

De nada adianta ser i…