Avançar para o conteúdo principal

Capsule wardrobe- Peças cheve no roupeiro

Muito se fala neste tema, eu chamo de peças que não passam de moda, e que combinam com tudo!!!! Por isso quando comprar peças chave invista em algo realmente bom!, se não quer pagar o preço total, invista nos saldos!
Imagem net


Cores:

Preto; Branco; beije; cinza; ganga

Peças 

casaca de ganga
casaca de napa
blazer
parka/Gabardine
casaco comprido preferencialmente lã
calças de ganga
calças algodão pretas
calças algodão brancas
calça preta clássica
leggings
calça napa
camisa de ganga
camisa branca
saia lápis
saia/calção estação
vestido preto- curto e longo
Macacão
sweet preta
sweet branca
camisolas lã, preferencialmente cachemira
casaco malha
Uma peça de roupa de festa nova


Roupa interior

Preto
branco
beije
Soutien alça amovivel
Um babydool

Calçado

Botins pretos/castanhos
Sapato raso
Sandálias pretas/Cinza/beijes
Ténis
Sapato classico tacão fino/médio
Bota cano alto
Galocha

Malas

Mala de Pc
Lancheira
mala preta grande e pequena
mala castanha grande
vermelha pequena
Mochila

Lembre-se que quanto mais neutras forem as cores mais fácil é conjugar com as da moda e estação!
Nesta peças pode investir em qualidade em lugar de quantidade, e ir ajustando as mesmas as peças da moda!

Boas compras!!!

Comentários

Mensagens populares deste blogue

December!!!!

Dezembro chegou... e com ele todos os pensamentos, todas as reflexões de um ano completamente atípico a que todos sobrevivemos....mas deixem apenas dizer lhes que ....foi um ano de crescimento individual, espiritual e familiar! Saio deste ano de coração cheio, de pura adrenalina, como é óbvio momentos de tudo....foi ano de Marte e deviamos ter preparado para a guerra, se todos chegamos até aqui vivos e de saúde somos uns guerreiros natos, capazes de enfrentar qualquer batalha. Prosseguiremos a 2021, ano de Vénus,  do amor, da prosperidade, da fé e da abundância, da compaixão, do cuidado ao próximo, dos amores impossíveis de contos de fadas! Peço para este ano uma reflexão: o que vale a pena lutar em cada vida que nos pertence? Do que devemos ser gratos ao acordar e ao deitar? O que é para si a liberdade, a saúde, a segurança! O que realmente importa para cada um de nós? Acho que foi um ano bastante reflexivo para quem abarcou e tentou entender a mensagem...a bem da verdade nestas últim

Pagamos uma casa a vida toda e agora ninguém quer passar os dias dentro dela

 Mais uma cultura portuguesa enraizada que felizmente começa a mudar! E porque não trabalhar dentro de casa, afinal pagamos uma renda, um empréstimo que não deixa de ser igualmente um crédito bancário. Ainda que tenhamos um trabalho no exterior, porque não trabalhar em casa, criar um cantinho para fazê-lo? Incentivar os vossos filhos a explorar uma capacidade....se com a idade deles pais e avós ganhavam dinheiro em fábricas, eles podem ganhar no conforto do seu lar, explorando os seus próprios dons e capacidades. Pagamos a nossa casa uma vida....são 100 mil...200 mil....300 mil...é que pensando bem na realidade actual ...sei que muitos são teletrabalho e aglomeram "n" tarefas ao que já têm, mas isto não será sempre assim, e porque não começar já hoje? Todos nós vimos ao mundo dotados de pelo menos 1 dom e 1 propósito de vida, dos quais somos dotados por Deus na nossa hora de nascimento. Existem pessoas que os descobrem e são felizes porque não é trabalho, é propósito, é dom,

Projecto- Um gorro que aquece um coração!

Então tenho sido impelida por uma vontade de ajuda ao próximo. Já foram muitas as peças que tricotei, incluindo mantas e gorros que já perdi a conta. Agora estou vocacionada para fazer peças que aqueçam um coração e uma cabeça nestas noites frias. Como o gorro é uma peça rápida e fácil de se fazer! Vou fazer alguns, para o meu primeiro voluntariado. Lanço o desafio, a quem tem jeito e tempo que ofereça uma peça a alguém mais necessitado este Natal! Numa peça feita à mão vai dedicação e amor e por isso concerteza aquecerã muito mais que o corpo, aquecerá a alma também! Boa sorte no vosso processo! Já ando há muito com a necessidade de