Avançar para o conteúdo principal

Por vezes o melhor mesmo a fazer é tentar manter a calma e dar a volta!

Da minha parte muito poucas fotos, sou aquela mãe que até os filhos se tornarem, um bocadinho mais independentes,e são ainda irrequietos e birrentos, não consigo relaxar.



Por isso usei sempre a política de não os levar a eventos, a não ser que fosse extremamente necessário!

Sei que há mães que gostam de ter os seus pintainhos à volta, mas verdade seja dita é que nem pais, nem filhos vão usufruir da festa! E depois há aquelas crianças que se reagem  mal a uma ou outra situação, e ninguém repara, e aquelas que reagem muito mal, e a festa parecem pessoas transformadas em holofotes, virados para nós e para os nossos filhos,  e isso para mim cria-me uma sensação de incapacidade e stress, que não gosto mesmo de sentir!
Sei que é normal as pessoas falarem, porque de facto há birras extremamente difíceis de acalmar,e eu sou mãe para ficar num stress, que demora a passar.

Acho que o Salvador ainda está nessa fase, e vai estar muito tempo, e ontem os presentes puderam constatar a realidade do salvador, que pode passar do mais choroso, birrento e mal comportado, ao dócil, simpático e até sociável, no espaço de horas. A mudança de rotinas e espaços, ainda o deixam muito nervoso e desconcertado, como não exprime emoção verbalmente, fá-lo aos gritos, a espernear ou morder, é duro, mas é assim que acontece!

Por vezes a impotência que todos sentem em querer ajudar e não saber como, é a mesma impotência que nós pais sentimos, todos os dias em todas estas situações, e quando nos criticam pela nossa função que tão bem executamos e nos esforçamos o melhor que sabemos, é como se nos dessem punhaladas no coração, o Autismo do Salvador, não é e nunca será culpa de ninguém, muito menos dele, que também sofre imenso em regular todas as suas emoções.

Na verdade o ideal protótipo de criança é a que senta à mesa, que brinca com os meninos, que até aos 4 anos fala e não usa fralda, que dança quando há música, que dá beijinhos e aceita toda a gente, mas esse não é o Salvador e não sei se um dia será!

Por isso é o menino que temos, e temos duas opções ou aceitamos e tentamos ajudar, ou partíamos para a violência e castigos constantes! Se é desagradável é, e por muito que as pessoas entendam e aceitem,eu como mãe extremamente consciente admito que importuna e deixa as pessoas até tristes e mal dispostas, e é perfeitamente aceitável. A dada altura a minha cunhada ofereceu-se para o levar ao parque, mas ele não queria sair dali, não sei se tinha fome...sede não tinha, porque a água que bebia, literalmente cuspia! E aí então é que ele ficou zangado.

Isto para dizer que só quando ele adormeceu e com a ajuda de alguns familiares voluntários é que eu consegui relaxar, comer e divertir-me.Depois acordou bem disposto, comeu sopa, comeu doce e fruta e ficou no seu mundo a dançar com a mãe e depois com as luzes psicadélicas que tanto gosta. Mas vai daí também com tudo isto não comi decentemente e à noite tive uma paragem digestiva, que a juntar ao Salvador ter adormecido às 3 da manhã, não foi uma noite feliz!

Hoje estou doente a recuperar, sem excessos e com muita calma.

Assim sendo, agradeço sempre por conseguir dar a volta e aproveitar o momento, e proporcionar a todos e principalmente à Lara uma festa que merece e que à qual da valor!

Por isso estas foram as fotos possíveis do Salvador, logo à saída da Igreja, cerimónia que também não esteve presente porque, estranhou de imediato e só chorava, teve de vir com a Santa da minha cunhada para o carro, quase 1h30.

E as fotos que tiramos entre telemóveis e a nossa câmara fotográfica! Algumas também antes de sair!

Sobre o Espaço, decoração e serviço falarei num outro post!
















Comentários

Mensagens populares deste blogue

Tricot

Quem me acompanha desde os primórdios, sabe que este blog já foi inteiramente dedicado ao tricot e se chamava lanzuda...pois bem confesso, que nos últimos tempos, não que não consiga, mas não tenho feito disso prioridade, embora vos confesse que tenho imensas saudades! Vou tricotar este ano alguns gorros para sem-abrigo, que é um projeto que tenho em mente há anos, eu vou mentalizando tudo na minha vida,projectando, vizualizando,co-criando, até que surja o momento certo para por em prática, e aí ninguém me segura! Para mim é terapia, e esta arte pode ser aplicada em centros de recuperação, porque tem a vertente calmante e terapeutica, e criar algo é sempre positivo ao ser humano! Mexe com os dois lados do cérebro em simultaneo, e pulsa o lado criativo, cada um pode por o seu cunho pessoal e é maravilhoso !  Tinha uma luta com meias, até que há dois anos e de forma autodidata, consegui fazer este par, com a lã Mondim , uma marca Portuguesa da Retrosaria ! Adoro, e este ano é para repeti

Projecto- Um gorro que aquece um coração!

Então tenho sido impelida por uma vontade de ajuda ao próximo. Já foram muitas as peças que tricotei, incluindo mantas e gorros que já perdi a conta. Agora estou vocacionada para fazer peças que aqueçam um coração e uma cabeça nestas noites frias. Como o gorro é uma peça rápida e fácil de se fazer! Vou fazer alguns, para o meu primeiro voluntariado. Lanço o desafio, a quem tem jeito e tempo que ofereça uma peça a alguém mais necessitado este Natal! Numa peça feita à mão vai dedicação e amor e por isso concerteza aquecerã muito mais que o corpo, aquecerá a alma também! Boa sorte no vosso processo! Já ando há muito com a necessidade de  

December!!!!

Dezembro chegou... e com ele todos os pensamentos, todas as reflexões de um ano completamente atípico a que todos sobrevivemos....mas deixem apenas dizer lhes que ....foi um ano de crescimento individual, espiritual e familiar! Saio deste ano de coração cheio, de pura adrenalina, como é óbvio momentos de tudo....foi ano de Marte e deviamos ter preparado para a guerra, se todos chegamos até aqui vivos e de saúde somos uns guerreiros natos, capazes de enfrentar qualquer batalha. Prosseguiremos a 2021, ano de Vénus,  do amor, da prosperidade, da fé e da abundância, da compaixão, do cuidado ao próximo, dos amores impossíveis de contos de fadas! Peço para este ano uma reflexão: o que vale a pena lutar em cada vida que nos pertence? Do que devemos ser gratos ao acordar e ao deitar? O que é para si a liberdade, a saúde, a segurança! O que realmente importa para cada um de nós? Acho que foi um ano bastante reflexivo para quem abarcou e tentou entender a mensagem...a bem da verdade nestas últim