Avançar para o conteúdo principal

Quando temos aquela conversa com os filhos!


Nós por aqui e principalmente eu, temos conversas muito realistas e francas com os nossos filhos, principalmente com a nossa filha que tarda nada completa 9 anos.

Acho que todos os filhos até trabalharem para terem o seu próprio dinheiro, têm um bocado a noção que o dinheiro cai das árvores, que os pais têm dinheiro para tudo, e que tudo que temos deve ter surgido de algum lado assim gratuitamente.

No entanto é bom sempre lembrar e esclarecer aos nossos filhos, que tudo o que eles têm e nós temos, é resultado de esforço, trabalho e poupanças.
Claro que queremos sempre aquilo que cada um na sua consciência considera o "melhor", no entanto, temos de os alertar para aquilo que é realmente importante e aquilo que é superfulo, de forma a que entendam que todas as coisas que fazemos e não são essenciais ao bem estar, tal como casa, mercearia, gás, electricidade, água, roupa, são esforço de uma poupança, e de uma boa gestão financeira, no entanto se tivermos de abdicar de tudo isso para manter os bens essenciais, fazemos e pronto.
Acho que todas as famílias em determinada altura da vida tiveram ou têm de passar por reajustes, recomeços, porque coisas acontecem independentemente da nossa vontade, e surgem despesas inesperadas, todos os meses.

Não é por acaso que se diz que para tirar da poupança é fácil, para repor nem tanto assim!

No entanto é importante que percebam que:
A casa custa dinheiro
A escola também
Tudo o que comemos e vestimos, tem de ser pago.
E que quando os pais cometem uma pequena extravagancia, o dobro já foi anteriormente gasto com eles!
Que só damos verdadeiramente valor ao dinheiro quando o ganhamos e poupamos e por vezes esticamos, a fazer malabarismos contabilísticos!


Se deixarmos de pagar  estes bens, ficamos sem eles, e que isso é realmente essencial à nossa vida!
Que há alturas em que podemos excedermos um pouco e até cometer um extravagância, mas desde que isso não comprometa todas as outras despesas.

Hoje em dia ensina-se muitas coisas às crianças, mas a vida real é só essa, de nada adianta saber matemática, se não existe dinheiro para contar e só chegam contas para pagar!
Temos de ensinar às nossas crianças, que eles podem ser excelentes alunos, ter um boa formação, um bom emprego, mas têm de saber dar o verdadeiro valor ao dinheiro, e que estabilidade ou instabilidade financeira, trazem consigo outros problemas acrescidos!

A nossa filha tem o dinheiro dela, o que as tias, avós e madrinha lhe vão dando, desde o ano passado que a deixamos gerir, tudo isto porque quer  um telemóvel, e para quando quer comprar coisas que não estão na lista de prioridades,  e porquê?

Porque se quer um telemóvel terá de juntar para ele, porque nunca dará o verdadeiro valor de outra forma.
(Claro que depois nos vai dar o dinheiro para a compra  e ele vai directamente para o banco :), mas na verdade ela não sabe esta parte, para todos os efeitos ela é que comprou).
Assim se perder ou partir, ela saberá também que precisa de mais dinheiro para o arranjar, ou o mesmo dinheiro e o mesmo tempo de espera para comprar outro!

Para que entenda que o dinheiro demora tempo a juntar!
E que se o gastar bem ou mal, o vai perdendo!

E porque mais vale saber isto aos 8 que aos 18 ou 28!

Acho muito importante que os nossos filhos mesmo não trabalhando, mesmo que lhe seja dado dinheiro, saibam que ele além de durar pouco, tem valor!

Saber que no supermercado uma caixa de cereais é o equivalente a 4 pacotes de leite, e que se tivermos de abdicar de um dos produtos terão de ser os cereais, porque:

A- os cereais não são essenciais
B- o leite é essencial, e quatro embalagens não dão apenas para uma pessoa, mas para 4 que tomem leite!


E vocês ensinam o valor do dinheiro???


Comentários

Mensagens populares deste blogue

Como ajudar um autista

A melhor forma de ajudar um autista e qualquer outra criança com necessidades especiais é aceitar e respeitar, a criança não pediu para nascer assim, e se nasceu é porque a sua forma de pensar e ver o mundo é importante para todos nós!

Que seria do mundo se pensassemos todos da mesma forma? que seria do mundo sem pessoas comuns, e sem génios, sem criativos, sem pessoas mais ou menos sociais, mais ou menos funcionais!

Infelizmente somos ratinhos de laboratório, e não damos ao ser humano, logo desde o berço, a possibilidade de se exprimirem e trabalharem nas suas competências, aquelas que poderiam fazer toda a diferença!

Supõe-se desde muito cedo que se não fizermos determinadas coisas que outras crianças da mesma idade fazem, somos dotados de falta de habilidade, ou pouco inteligentes, ou atrasados!

Porém faltam muitas disciplinas importantes como gestão doméstica, disciplinas mais práticas, de onde conhecemos os melhores compositores, pintores, pensadores, filósofos??? Não estão na e…

Felizes os que retomaram a sua rotina mais felizes os que nunca sairam

Sim hoje li um texto e os nossos filhos e nós que estamos em casa confinados, principalmente quem está sozinho  a desdobrar-se em tarefas, em rotinas alteradas, em tentativas de sair para lugares seguros, em idas ao supermercado, as farmácias, a tentar mil malabarismos para nos mantermos despertos e saudáveis, sem que ninguém se mate, nós somos os verdadeiros heróis!

Somos mães/pais a tempo inteiro, não podemos ter um surto e sair de casa porque eles não podem ficar sozinhos, nos dias de chuva não saimos, e não é porque chove, é porque as nossas crianças com necessidades especiais, não cumprem todas as regras, e molham-se e sujam-se e fazem xixi, e nós não queremos que uma simples saída de 30 minutos se torne em banho, roupa na máquina, cadeira do carro, lavagem de tudo e mais um par de botas, consumo de água e de máquina de secar, dadas as condiçoes climatéricas!

São 10horas eu acordei as 9, o meu filho ontem adormeceu as 2H30, depois de ter sido dura com ele mais uma vez, isso só p…

Contabilidade e Gestão- Despesas anuais

Verdade seja dita que ganhamos ao mês não ao ano!!! Mas para sabermos quanto estamos a exceder no orçamento ou quanto precisamos de ganhar mais, é o nosso dever fazer contas anuais, ativo, passivo, o que entra o que sai, o que entra e o que realmente pode sair!
Há anos muito atipicos, e nós por cá dizemos que por razões mais que óbvias este ano foi um desses!!!

Metade do orçamento, contas desencontradas, contas desiquilibradas, menos a entrar mais a sair, mas sobrevivemos assim sem grandes estragos!!!!!!!
Para o ano a meta será a financeira e material!

Sem perder o fio à meada equilibrar, equilibrar, equilibrar, para então em 2021, relaxar!
Sim tenho metas na cabeça, no papel, todos os anos me proponho a uma!
Este ano era chegar ao final com questões sentimentais resolvidas, orientar nova vida e rotinas familiares, ainda que com ajuda seja sempre o mais individualista e independente que conseguir, e ser independente nunca é apenas e só uma questão financeira!!!!

De nada adianta ser i…