Avançar para o conteúdo principal

Quando a inclusão é na verdade exclusão!

Deveríamos ser, mas não somos!



Pais que têm crianças com deficiência ou necessidades educativas especiais, saberão certamente do tema que vou abordar hoje aqui.
Esta inclusão social é uma grande treta e na verdade por vezes sinto que para alguns membros da sociedade se tornaria mais fácil se as mesmas não existissem.
Não há inclusão a partir do momento em que matriculamos estas crianças e não nos informam devidamente de direitos e deveres.
As famosas AEC- Actividades Extra Curriculares, que servem para "entreter" mais 1 hora as crianças nas escolas, e digo as crianças que são "normais" e participam alegremente e com interesse, para as crianças portadoras de deficiência ou necessidades especiais, não fazem qualquer sentido, é acrescer stress, frustração e informação desnecessária, porque realmente é como pedir a uma parede para cantar dançar e fazer ginástica!
A criança que não está inscrita nas AEC, também não tem direito a horário na interrupção lectiva, assim sendo vai quebrar a sua rotina por 2 semanas ou meses, quer pela falta de profissionais qualificados, ou pela falta de funcionários, que aproveitam estas pausas onde lhes são impostas  formações laborais.


Nós por cá íamos optar pela primeira semana em horário ainda mais reduzido, note-se que só está na escola 6 horas diárias, e por vezes menos, e a segunda não ia, pelo simples facto de que tenho dois filhos, e a mais velha também tem direito a ser filha única e especial, nestes dias.
No entanto, como não se encontra inscrito nas AEC, que relembro quer frequente, quer não, as mesmas têm custo, não pode permanecer na escola durante o período de interrupção lectiva.

Atenção que os professores, e funcionários têm direito a férias, e a formações, o sistema de Ensino, é que deveria prever, e organizar as coisas de uma forma lógica.

Só exponho este caso, que no meu caso tenho uma criança "normal" e uma Autista, mas acho que é uma informação de interesse a todos.

Isto é Exclusão. Porque a lei deveria prever alíneas especificas para estas situações.
Um autista e um deficiente em cadeira de rodas, têm necessidades completamente distintas, mas são tratados como "normais", ou excluídos.

As pessoas devem perceber, que a deficiência pode cair na casa de qualquer família, e que infelizmente somos uma triste sociedade que aparenta e não pratica, é algo que nos acompanhará para a vida, e estas lutas são constantes, e desnecessárias seriam, e infelizmente só nos damos conta desta triste realidade, quando a mesma mora na nossa casa.

Eu até agora nem sequer pensava nisso, mas é uma Guerra que compramos, feita de pequenas batalhas, e se muito já foi alterado, foi porque há país que não desistem, não morrem na praia.







Comentários

Mensagens populares deste blogue

December!!!!

Dezembro chegou... e com ele todos os pensamentos, todas as reflexões de um ano completamente atípico a que todos sobrevivemos....mas deixem apenas dizer lhes que ....foi um ano de crescimento individual, espiritual e familiar! Saio deste ano de coração cheio, de pura adrenalina, como é óbvio momentos de tudo....foi ano de Marte e deviamos ter preparado para a guerra, se todos chegamos até aqui vivos e de saúde somos uns guerreiros natos, capazes de enfrentar qualquer batalha. Prosseguiremos a 2021, ano de Vénus,  do amor, da prosperidade, da fé e da abundância, da compaixão, do cuidado ao próximo, dos amores impossíveis de contos de fadas! Peço para este ano uma reflexão: o que vale a pena lutar em cada vida que nos pertence? Do que devemos ser gratos ao acordar e ao deitar? O que é para si a liberdade, a saúde, a segurança! O que realmente importa para cada um de nós? Acho que foi um ano bastante reflexivo para quem abarcou e tentou entender a mensagem...a bem da verdade nestas últim

Pagamos uma casa a vida toda e agora ninguém quer passar os dias dentro dela

 Mais uma cultura portuguesa enraizada que felizmente começa a mudar! E porque não trabalhar dentro de casa, afinal pagamos uma renda, um empréstimo que não deixa de ser igualmente um crédito bancário. Ainda que tenhamos um trabalho no exterior, porque não trabalhar em casa, criar um cantinho para fazê-lo? Incentivar os vossos filhos a explorar uma capacidade....se com a idade deles pais e avós ganhavam dinheiro em fábricas, eles podem ganhar no conforto do seu lar, explorando os seus próprios dons e capacidades. Pagamos a nossa casa uma vida....são 100 mil...200 mil....300 mil...é que pensando bem na realidade actual ...sei que muitos são teletrabalho e aglomeram "n" tarefas ao que já têm, mas isto não será sempre assim, e porque não começar já hoje? Todos nós vimos ao mundo dotados de pelo menos 1 dom e 1 propósito de vida, dos quais somos dotados por Deus na nossa hora de nascimento. Existem pessoas que os descobrem e são felizes porque não é trabalho, é propósito, é dom,

Saudades das minhas gajas

Tenho saudades das minhas gajas, das gargalhadas, do verão, das danças, dos jantares, de socializar. Sinto saudades de fazer amor, de fazer sexo, de nadar no mar e fazer topless. Sinto saudades da sangria, da cerveja, do sunset, da areia da praia. das ondas do mar. Sinto saudades do teu beijo, do teu sorriso entre ele, e do teu abraço. Sinto saudade de não ter medo de amar, porque é bom amar sem medo. Sinto saudade do bikini, dos pés na areia, da brisa a bater-me na cara. Sinto saudades do alpendre lá de casa, do jardim de inverno, dos finais de tarde de verão. Sinto falta dos abraços, dos beijos, das borboletas na barriga, dos primeiros encontros. Sinto saudades de acordar com desejo e adormecer com paixão.  Sinto saudades do teu abraço aconchegante, do teu toque meigo, do teu mau feitio. Sinto saudades da paixão desenfreada e do tesão, mas mais saudades do teu amor calmo, que me serana, saudades da tua voz....aí a tua voz. Saudades dos jantares, de andar de mão dada na praia, de quan