Avançar para o conteúdo principal

A maternidade é uma cena lixada!!! Uma espécie de montanha russa

A maternidade muda-nos para sempre, muda a nossa mentalidade, a nossa maturidade e a nossa forma de ver a vida.
Ficamos com medo de morrer.
Ficamos com menos dinheiro na conta bancária, com agenda mais preenchida, com noites mal dormidas.
Descobrimos um poder dentro de nós que até então nada exaltava. Descobrimos que o corpo feminino é fantástico, quando o bebé nasce, olhamos para ele olhamos para nós, e perguntamos, como é que isto tudo, estava dentro da minha barriga. Descobrimos que somos capazes de alimentar e trazer um ser à vida e fazermos com que seja nutrido, protegido, cuidado , amado.
Descobrimos o tal do amor incondicional, que só nutrimos pelos filhos.
Ficamos a perceber tudo sobre fraldas, biberons, banhos, num abrir e fechar de olhos, como que instintivamente.

Será que vou conseguir??? Pergunta atormentadora! Vou sim. Essa é a resposta.

Fazemos mil e uma perguntas, mesmo depois de estarem cá fora, se devíamos ou não ter assumido tamanha responsabilidade.
Por vezes arrependemo-nos, ou pensamos que estamos arrependidos, por vezes choramos, sorrimos, temos ataques de tristeza, solidão, fúria, raiva, pânico, medo, ansiedade.
Culpamo-nos por tudo e por nada, vivemos em sobressalto, comemos de pé, tomamos banho com a porta aberta, trancamos as portas, as janelas, verificamos tudo e mais alguma coisa, para que estejam em segurança, e ainda assim eles são capazes de coisas do arco da velha, e acidentes acontecem, senão não se chamariam acidentes!!!
Fazemos toneladas de máquinas de roupa, lanchinhos, pedidos de coisas da creche/escola, damos uma palmada ou berramos, choram eles e choramos nós, e achamos que a protecção de menores é capaz de nos retirar por isso...
Quando temos mais que um filho, e um deles ainda é pequeno, deitamo-nos com a sensação que não demos atenção suficiente ao/s outro/s.
Descobrimos que têm muito deles e muito de nós.
Mesmo sem terem saído de casa já fazemos a comida preferida e compramos aquelas coisinhas que mais gostam, sejam saudáveis ou não.
Percebemos que a parentalidade é um trabalho a dois, que muitas vezes é mais da mãe, não se iludam.
Descobrimos que temos uma intuição maternal fantástica e raramente falha.
Sabemos sempre quando estão ou vão ficar doentes só de olhar para eles!
Queremos sempre estar sem eles e com eles, e sim esta é uma das sensações mais estranhas que temos, queremos "livrar-nos" deles e quando o fazemos, levamo-los connosco para todo o lado em pensamento,  e quando não estão parece que deixamos o coração em casa ;)
Nunca mais nos sentimos sós, mesmo que estejamos.

E vamos preocupar-nos sempre, sempre com eles, mesmo que tenham 60 anos!

E muito haveria a acrscentar a esta montanha russa!

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Como ajudar um autista

A melhor forma de ajudar um autista e qualquer outra criança com necessidades especiais é aceitar e respeitar, a criança não pediu para nascer assim, e se nasceu é porque a sua forma de pensar e ver o mundo é importante para todos nós!

Que seria do mundo se pensassemos todos da mesma forma? que seria do mundo sem pessoas comuns, e sem génios, sem criativos, sem pessoas mais ou menos sociais, mais ou menos funcionais!

Infelizmente somos ratinhos de laboratório, e não damos ao ser humano, logo desde o berço, a possibilidade de se exprimirem e trabalharem nas suas competências, aquelas que poderiam fazer toda a diferença!

Supõe-se desde muito cedo que se não fizermos determinadas coisas que outras crianças da mesma idade fazem, somos dotados de falta de habilidade, ou pouco inteligentes, ou atrasados!

Porém faltam muitas disciplinas importantes como gestão doméstica, disciplinas mais práticas, de onde conhecemos os melhores compositores, pintores, pensadores, filósofos??? Não estão na e…

Felizes os que retomaram a sua rotina mais felizes os que nunca sairam

Sim hoje li um texto e os nossos filhos e nós que estamos em casa confinados, principalmente quem está sozinho  a desdobrar-se em tarefas, em rotinas alteradas, em tentativas de sair para lugares seguros, em idas ao supermercado, as farmácias, a tentar mil malabarismos para nos mantermos despertos e saudáveis, sem que ninguém se mate, nós somos os verdadeiros heróis!

Somos mães/pais a tempo inteiro, não podemos ter um surto e sair de casa porque eles não podem ficar sozinhos, nos dias de chuva não saimos, e não é porque chove, é porque as nossas crianças com necessidades especiais, não cumprem todas as regras, e molham-se e sujam-se e fazem xixi, e nós não queremos que uma simples saída de 30 minutos se torne em banho, roupa na máquina, cadeira do carro, lavagem de tudo e mais um par de botas, consumo de água e de máquina de secar, dadas as condiçoes climatéricas!

São 10horas eu acordei as 9, o meu filho ontem adormeceu as 2H30, depois de ter sido dura com ele mais uma vez, isso só p…

Contabilidade e Gestão- Despesas anuais

Verdade seja dita que ganhamos ao mês não ao ano!!! Mas para sabermos quanto estamos a exceder no orçamento ou quanto precisamos de ganhar mais, é o nosso dever fazer contas anuais, ativo, passivo, o que entra o que sai, o que entra e o que realmente pode sair!
Há anos muito atipicos, e nós por cá dizemos que por razões mais que óbvias este ano foi um desses!!!

Metade do orçamento, contas desencontradas, contas desiquilibradas, menos a entrar mais a sair, mas sobrevivemos assim sem grandes estragos!!!!!!!
Para o ano a meta será a financeira e material!

Sem perder o fio à meada equilibrar, equilibrar, equilibrar, para então em 2021, relaxar!
Sim tenho metas na cabeça, no papel, todos os anos me proponho a uma!
Este ano era chegar ao final com questões sentimentais resolvidas, orientar nova vida e rotinas familiares, ainda que com ajuda seja sempre o mais individualista e independente que conseguir, e ser independente nunca é apenas e só uma questão financeira!!!!

De nada adianta ser i…