Avançar para o conteúdo principal

Sobre as dificuldades do autismo

Penso ser a primeira vez que falo sobre este tema no blog, porque no Facebook, já tenho falado imensas vezes.

Desde os 18 meses, altura em que se começou a ter o alerta para o facto do Salvador ser autista, até aos 3 anos, altura em que foi diagnosticado, TEA- pelo Neuropediatra, a nossa vida tem seguido um rumo muito diferente.

Vamos falar então do que mudou e foi acrescido à nossa vida:

Descobri o autismo, até então completamente desconhecido, honestamente nunca tinha ouvido falar deste Espectro/Handicap.

Tenho feito muita pesquisa sobre as diversas terapias, brinquedos sensoriais, técnicas para acelerar o processo de fala e socialização, e poder trabalhar com o Salvador de 1 para 1.

Resta dizer que o autismo é um espectro, e varia de criança para criança, dependendo do grau, que não pode ser medido ou quantificado por um exame físico, mas sim por um especialista, preferencialmente, Neuropediatra/ Psicólogo.

A ELI  - equipa de Intervenção precoce que o acompanha desde o infantário e ajuda na recuperação do Salvador, e que vai desde a sua avaliação em contexto familiar e escolar, e visa apresentar o maior número de ajudas possíveis, de acordo com as suas maiores dificuldades.

Que também foi um choque porque inicialmente, achava que a ELI era uma espécie de um conjunto de pessoas, que estavam aqui para avaliar os pais e não os filhos, e se algo corresse mal iam retira-los de nós, iam julgar e criticar.

Atenção que todos os pensamentos ilógicos descritos da ideia pré concebida que tinha sobre tudo, foram na fase de negação do problema do Salvador. Felizmente essa fase foi seguramente ultrapassada e tudo que vai surgindo como forma de ajuda, é avaliado por nós pais conscientemente, testado, e introduzido na dinâmica familiar actual. Mas aceitamos a sugestão e avaliamos e isso é um passo muito grande na aceitação, para o caso de ser benéfico à criança em questão.

O Ensino Especial na idade pré escolar- 3 aos 6 anos- o Salvador tem uma professora do Ensino Especial a dar apoio, claro fique, que não é portador de deficiência, toda ou qualquer criança que necessite de ensino especial, o Ensino Especial serve para ajudar toda e qualquer criança, com dificuldade em determinada àrea, e que está disponível no serviço público, e gratuitamente, a partir da idade pré-escolar,  que não significa que seja de todo uma deficiência.

Dito isto assim, porque quando me falaram em ensino especial, eu própria só pensava que o Salvador iria estar numa sala com crianças com várias dificuldades, e ia ser conotado, e levar isso para o resto da vida, mesmo que tivesse cura, e que para além disso, nunca iria desenvolver o suficiente, por não estar em contacto com as crianças neurotipicas.

Hoje eu percebo que isso serve apenas como apoio à criança, à professora titular e aos pais. E que o desenvolvimento dele, não passa só e apenas por estar numa escola regular, com crianças neurotipicas, o desenvolvimento dele passa por terapias, estímulos, suporte familiar e essencialmente do seu próprio esforço e capacidade.

Quando vos apresentarem soluções apesar do choque, esteja, abertos a tentar entender e a aceitar!

Também estou disponível a esclarecer questões dentro da minha experiência de mãe de um autista, que vos possa ser útil.

Ou por mensagem de facebook, ou e-mail. adriana.costeira@gmail.com


Comentários

Mensagens populares deste blogue

Como ajudar um autista

A melhor forma de ajudar um autista e qualquer outra criança com necessidades especiais é aceitar e respeitar, a criança não pediu para nascer assim, e se nasceu é porque a sua forma de pensar e ver o mundo é importante para todos nós!

Que seria do mundo se pensassemos todos da mesma forma? que seria do mundo sem pessoas comuns, e sem génios, sem criativos, sem pessoas mais ou menos sociais, mais ou menos funcionais!

Infelizmente somos ratinhos de laboratório, e não damos ao ser humano, logo desde o berço, a possibilidade de se exprimirem e trabalharem nas suas competências, aquelas que poderiam fazer toda a diferença!

Supõe-se desde muito cedo que se não fizermos determinadas coisas que outras crianças da mesma idade fazem, somos dotados de falta de habilidade, ou pouco inteligentes, ou atrasados!

Porém faltam muitas disciplinas importantes como gestão doméstica, disciplinas mais práticas, de onde conhecemos os melhores compositores, pintores, pensadores, filósofos??? Não estão na e…

Felizes os que retomaram a sua rotina mais felizes os que nunca sairam

Sim hoje li um texto e os nossos filhos e nós que estamos em casa confinados, principalmente quem está sozinho  a desdobrar-se em tarefas, em rotinas alteradas, em tentativas de sair para lugares seguros, em idas ao supermercado, as farmácias, a tentar mil malabarismos para nos mantermos despertos e saudáveis, sem que ninguém se mate, nós somos os verdadeiros heróis!

Somos mães/pais a tempo inteiro, não podemos ter um surto e sair de casa porque eles não podem ficar sozinhos, nos dias de chuva não saimos, e não é porque chove, é porque as nossas crianças com necessidades especiais, não cumprem todas as regras, e molham-se e sujam-se e fazem xixi, e nós não queremos que uma simples saída de 30 minutos se torne em banho, roupa na máquina, cadeira do carro, lavagem de tudo e mais um par de botas, consumo de água e de máquina de secar, dadas as condiçoes climatéricas!

São 10horas eu acordei as 9, o meu filho ontem adormeceu as 2H30, depois de ter sido dura com ele mais uma vez, isso só p…

Contabilidade e Gestão- Despesas anuais

Verdade seja dita que ganhamos ao mês não ao ano!!! Mas para sabermos quanto estamos a exceder no orçamento ou quanto precisamos de ganhar mais, é o nosso dever fazer contas anuais, ativo, passivo, o que entra o que sai, o que entra e o que realmente pode sair!
Há anos muito atipicos, e nós por cá dizemos que por razões mais que óbvias este ano foi um desses!!!

Metade do orçamento, contas desencontradas, contas desiquilibradas, menos a entrar mais a sair, mas sobrevivemos assim sem grandes estragos!!!!!!!
Para o ano a meta será a financeira e material!

Sem perder o fio à meada equilibrar, equilibrar, equilibrar, para então em 2021, relaxar!
Sim tenho metas na cabeça, no papel, todos os anos me proponho a uma!
Este ano era chegar ao final com questões sentimentais resolvidas, orientar nova vida e rotinas familiares, ainda que com ajuda seja sempre o mais individualista e independente que conseguir, e ser independente nunca é apenas e só uma questão financeira!!!!

De nada adianta ser i…