Avançar para o conteúdo principal

Sobre as dificuldades do autismo

Penso ser a primeira vez que falo sobre este tema no blog, porque no Facebook, já tenho falado imensas vezes.

Desde os 18 meses, altura em que se começou a ter o alerta para o facto do Salvador ser autista, até aos 3 anos, altura em que foi diagnosticado, TEA- pelo Neuropediatra, a nossa vida tem seguido um rumo muito diferente.

Vamos falar então do que mudou e foi acrescido à nossa vida:

Descobri o autismo, até então completamente desconhecido, honestamente nunca tinha ouvido falar deste Espectro/Handicap.

Tenho feito muita pesquisa sobre as diversas terapias, brinquedos sensoriais, técnicas para acelerar o processo de fala e socialização, e poder trabalhar com o Salvador de 1 para 1.

Resta dizer que o autismo é um espectro, e varia de criança para criança, dependendo do grau, que não pode ser medido ou quantificado por um exame físico, mas sim por um especialista, preferencialmente, Neuropediatra/ Psicólogo.

A ELI  - equipa de Intervenção precoce que o acompanha desde o infantário e ajuda na recuperação do Salvador, e que vai desde a sua avaliação em contexto familiar e escolar, e visa apresentar o maior número de ajudas possíveis, de acordo com as suas maiores dificuldades.

Que também foi um choque porque inicialmente, achava que a ELI era uma espécie de um conjunto de pessoas, que estavam aqui para avaliar os pais e não os filhos, e se algo corresse mal iam retira-los de nós, iam julgar e criticar.

Atenção que todos os pensamentos ilógicos descritos da ideia pré concebida que tinha sobre tudo, foram na fase de negação do problema do Salvador. Felizmente essa fase foi seguramente ultrapassada e tudo que vai surgindo como forma de ajuda, é avaliado por nós pais conscientemente, testado, e introduzido na dinâmica familiar actual. Mas aceitamos a sugestão e avaliamos e isso é um passo muito grande na aceitação, para o caso de ser benéfico à criança em questão.

O Ensino Especial na idade pré escolar- 3 aos 6 anos- o Salvador tem uma professora do Ensino Especial a dar apoio, claro fique, que não é portador de deficiência, toda ou qualquer criança que necessite de ensino especial, o Ensino Especial serve para ajudar toda e qualquer criança, com dificuldade em determinada àrea, e que está disponível no serviço público, e gratuitamente, a partir da idade pré-escolar,  que não significa que seja de todo uma deficiência.

Dito isto assim, porque quando me falaram em ensino especial, eu própria só pensava que o Salvador iria estar numa sala com crianças com várias dificuldades, e ia ser conotado, e levar isso para o resto da vida, mesmo que tivesse cura, e que para além disso, nunca iria desenvolver o suficiente, por não estar em contacto com as crianças neurotipicas.

Hoje eu percebo que isso serve apenas como apoio à criança, à professora titular e aos pais. E que o desenvolvimento dele, não passa só e apenas por estar numa escola regular, com crianças neurotipicas, o desenvolvimento dele passa por terapias, estímulos, suporte familiar e essencialmente do seu próprio esforço e capacidade.

Quando vos apresentarem soluções apesar do choque, esteja, abertos a tentar entender e a aceitar!

Também estou disponível a esclarecer questões dentro da minha experiência de mãe de um autista, que vos possa ser útil.

Ou por mensagem de facebook, ou e-mail. adriana.costeira@gmail.com


Comentários

Mensagens populares deste blogue

December!!!!

Dezembro chegou... e com ele todos os pensamentos, todas as reflexões de um ano completamente atípico a que todos sobrevivemos....mas deixem apenas dizer lhes que ....foi um ano de crescimento individual, espiritual e familiar! Saio deste ano de coração cheio, de pura adrenalina, como é óbvio momentos de tudo....foi ano de Marte e deviamos ter preparado para a guerra, se todos chegamos até aqui vivos e de saúde somos uns guerreiros natos, capazes de enfrentar qualquer batalha. Prosseguiremos a 2021, ano de Vénus,  do amor, da prosperidade, da fé e da abundância, da compaixão, do cuidado ao próximo, dos amores impossíveis de contos de fadas! Peço para este ano uma reflexão: o que vale a pena lutar em cada vida que nos pertence? Do que devemos ser gratos ao acordar e ao deitar? O que é para si a liberdade, a saúde, a segurança! O que realmente importa para cada um de nós? Acho que foi um ano bastante reflexivo para quem abarcou e tentou entender a mensagem...a bem da verdade nestas últim

Pagamos uma casa a vida toda e agora ninguém quer passar os dias dentro dela

 Mais uma cultura portuguesa enraizada que felizmente começa a mudar! E porque não trabalhar dentro de casa, afinal pagamos uma renda, um empréstimo que não deixa de ser igualmente um crédito bancário. Ainda que tenhamos um trabalho no exterior, porque não trabalhar em casa, criar um cantinho para fazê-lo? Incentivar os vossos filhos a explorar uma capacidade....se com a idade deles pais e avós ganhavam dinheiro em fábricas, eles podem ganhar no conforto do seu lar, explorando os seus próprios dons e capacidades. Pagamos a nossa casa uma vida....são 100 mil...200 mil....300 mil...é que pensando bem na realidade actual ...sei que muitos são teletrabalho e aglomeram "n" tarefas ao que já têm, mas isto não será sempre assim, e porque não começar já hoje? Todos nós vimos ao mundo dotados de pelo menos 1 dom e 1 propósito de vida, dos quais somos dotados por Deus na nossa hora de nascimento. Existem pessoas que os descobrem e são felizes porque não é trabalho, é propósito, é dom,

Saudades das minhas gajas

Tenho saudades das minhas gajas, das gargalhadas, do verão, das danças, dos jantares, de socializar. Sinto saudades de fazer amor, de fazer sexo, de nadar no mar e fazer topless. Sinto saudades da sangria, da cerveja, do sunset, da areia da praia. das ondas do mar. Sinto saudades do teu beijo, do teu sorriso entre ele, e do teu abraço. Sinto saudade de não ter medo de amar, porque é bom amar sem medo. Sinto saudade do bikini, dos pés na areia, da brisa a bater-me na cara. Sinto saudades do alpendre lá de casa, do jardim de inverno, dos finais de tarde de verão. Sinto falta dos abraços, dos beijos, das borboletas na barriga, dos primeiros encontros. Sinto saudades de acordar com desejo e adormecer com paixão.  Sinto saudades do teu abraço aconchegante, do teu toque meigo, do teu mau feitio. Sinto saudades da paixão desenfreada e do tesão, mas mais saudades do teu amor calmo, que me serana, saudades da tua voz....aí a tua voz. Saudades dos jantares, de andar de mão dada na praia, de quan