Avançar para o conteúdo principal

Como tudo recomeçou

Hoje vou falar um pouco sobre a minha relação com o tricô.
Na nossa geração 80´...sim sou velhota eu sei !!!, nós fazíamos artes manuais e foi por altura dos meus 7/8 anos quando andava no ATL, que aprendi a fazer artes manuais, uma delas foi tricô.
Na altura fiz, e aprendi,  liga para um lado e liga para o outro, manta portanto, nome técnico dado na altura, e o máximo que devo ter feito foi um cachecol!
A fase passou e o tricô foi posto de parte. Mais recentemente à cerca de 4 anos atrás, desempreguei-me para mudar de cidade e iniciar uma nova fase da nossa vida, como família, tipo Portugueses pelo Mundo, mas em Portugal.
No inicio tudo muito bem, mas depois ao fim de algum tempo em casa e sem trabalho à vista, comecei a sentir-me muito triste e em baixo, e um pouco desiludida comigo mesma,  decidi iniciar o tricô novamente como forma de ocupação, ao fim de 2 meses fiz logo uma formação na loja da Joana Nossa, a Ovelha Negra, http://loja.ovelha-negra.com/pt/, na altura foi um casaco de bebé sem costuras. Desde aí nunca mais parei, e tenho vindo a ser autodidacta em muitos processos ligados ao tricô.
Simultaneamente tenho feito várias formações a nível da Industria Têxtil, que me tem trazido bastantes qualificações e ajuda em vários processos.
Embora ainda não me encontre a trabalhar, o tricô tem sido a minha "salvação" de todos os dias, principalmente nos dias em que não entendo porque o tal trabalho ainda não apareceu, e nos dias mais parados em que a minha família não requer tanta participação da minha parte.
O meu sonho é sem dúvida abrir uma loja, e por esse motivo tenho-me esforçado bastante  no que toca à aprendizagem quer a nível da área têxtil, quer a nível da parte de empreendedorismo, atendimento ao cliente, e gestão de stocks, porque acho que uma gestão de uma loja, é a gestão de uma empresa e requer portanto uma aprendizagem mais geral e dispersa pelos vários temas.
Resumindo;
O tricô para mim é uma terapia, uma evolução constante, e algo que me faz realmente feliz.
Idealizar uma peça na minha cabeça, e vê-la pronta no final, depois de muitas horas de trabalho, mas sem duvida compensador.
A minha peça de eleição de todas as que fiz é este macacão que desenhei mentalmente e desenhei para o meu filho .
Bem como um fato de ananás que fiz para o carnaval.



Beijos no Coração


Comentários

Mensagens populares deste blogue

Como ajudar um autista

A melhor forma de ajudar um autista e qualquer outra criança com necessidades especiais é aceitar e respeitar, a criança não pediu para nascer assim, e se nasceu é porque a sua forma de pensar e ver o mundo é importante para todos nós!

Que seria do mundo se pensassemos todos da mesma forma? que seria do mundo sem pessoas comuns, e sem génios, sem criativos, sem pessoas mais ou menos sociais, mais ou menos funcionais!

Infelizmente somos ratinhos de laboratório, e não damos ao ser humano, logo desde o berço, a possibilidade de se exprimirem e trabalharem nas suas competências, aquelas que poderiam fazer toda a diferença!

Supõe-se desde muito cedo que se não fizermos determinadas coisas que outras crianças da mesma idade fazem, somos dotados de falta de habilidade, ou pouco inteligentes, ou atrasados!

Porém faltam muitas disciplinas importantes como gestão doméstica, disciplinas mais práticas, de onde conhecemos os melhores compositores, pintores, pensadores, filósofos??? Não estão na e…

Contabilidade e Gestão- Despesas anuais

Verdade seja dita que ganhamos ao mês não ao ano!!! Mas para sabermos quanto estamos a exceder no orçamento ou quanto precisamos de ganhar mais, é o nosso dever fazer contas anuais, ativo, passivo, o que entra o que sai, o que entra e o que realmente pode sair!
Há anos muito atipicos, e nós por cá dizemos que por razões mais que óbvias este ano foi um desses!!!

Metade do orçamento, contas desencontradas, contas desiquilibradas, menos a entrar mais a sair, mas sobrevivemos assim sem grandes estragos!!!!!!!
Para o ano a meta será a financeira e material!

Sem perder o fio à meada equilibrar, equilibrar, equilibrar, para então em 2021, relaxar!
Sim tenho metas na cabeça, no papel, todos os anos me proponho a uma!
Este ano era chegar ao final com questões sentimentais resolvidas, orientar nova vida e rotinas familiares, ainda que com ajuda seja sempre o mais individualista e independente que conseguir, e ser independente nunca é apenas e só uma questão financeira!!!!

De nada adianta ser i…

Felizes os que retomaram a sua rotina mais felizes os que nunca sairam

Sim hoje li um texto e os nossos filhos e nós que estamos em casa confinados, principalmente quem está sozinho  a desdobrar-se em tarefas, em rotinas alteradas, em tentativas de sair para lugares seguros, em idas ao supermercado, as farmácias, a tentar mil malabarismos para nos mantermos despertos e saudáveis, sem que ninguém se mate, nós somos os verdadeiros heróis!

Somos mães/pais a tempo inteiro, não podemos ter um surto e sair de casa porque eles não podem ficar sozinhos, nos dias de chuva não saimos, e não é porque chove, é porque as nossas crianças com necessidades especiais, não cumprem todas as regras, e molham-se e sujam-se e fazem xixi, e nós não queremos que uma simples saída de 30 minutos se torne em banho, roupa na máquina, cadeira do carro, lavagem de tudo e mais um par de botas, consumo de água e de máquina de secar, dadas as condiçoes climatéricas!

São 10horas eu acordei as 9, o meu filho ontem adormeceu as 2H30, depois de ter sido dura com ele mais uma vez, isso só p…